xx-Sobre Mim-

xx-Pesquisar Neste Blog-

 

xxJaneiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

xx-Posts Recentes-

xx Carta de um bébé abortado...

xx Como é que é possível?

xx Should i leave?

xx Porquê sofrer?

xx Alvaro de Campos - Às vez...

xx-Arquivos-

xx Janeiro 2007

xx Dezembro 2006

xx Novembro 2006

xx Outubro 2006

xx-Favoritos-

xx Aprender a crescer

blogs SAPO

xxsubscrever feeds

Quinta-feira, 9 de Novembro de 2006

Palavras leva-as o vento

Soam, mudas e caladas, a lamento.
Como surdas trovoadas de um mau tempo.
E são farpa e estigma, são estocada.
São verdade ou mentira, são nada.

E são tudo. Quando nem tudo convém.
Quando a voz é o que se pensa
E o que se pensa se diz a ninguém.

São versos, são prosa, são literatura.
São textos de pouca dura.
São frases com pouca sentença.
São ideias sem presença.
São sintomáticas dores da doença
Que ataca, sem licença,
Quem as guarda, quem as ouve,
Quem as viu, quem as não soube,
Quem as não quer, quem as não tem.

Que difíceis são as palavras,
Quando encontram o momento
Em que não se podem calar.
Quando são ditas a tempo,
E o vento não as pode levar.

 

E quando não sobra mais nada para além das palavras? Pois é nem tudo o tempo levou...e ficam as feridas que as palavras abriram e a memória não deixou fechar...

X Sinto-me: descontrolada...
X Música: Skye - "Love Show"

xx-Meus Links-